BAIRROS

Qual seu Bairro? Estado: Cidade:

CONHEÇA O GOOGLE SUÍTE - GSUITE, UM NOVO MUNDO PARA SUA EMPRESA - CLIQUE AQUI!

Mato Grosso Do Sul Tem Uma Das Menores Taxas De Escolarizacao Entre Criancas De Ate 3 Anos - - Machado Cuiaba - Mato Grosso


Fonte: http://www.acritica.net/noticias/mato-grosso-do-sul-tem-uma-das-menores-taxas-de-escolarizacao-entre/311704/


Voltar

MenuÚltimasRÁDIOSMarabá FM 93,9Band FM 104,7Montana FM 89,9Nova FM 99,1Serra FM 106,5Serrana FM 88,7Corumbá FM 98,9Band FM 88,521 de agosto de 2018 a críticaGrupo Feitosa de Comunicação(67) 99974-5440(67) 3317-7890MenuÚltimas NotíciasEditoriasGeralPolíticaEconomiaAgropecuáriaPolíciaEsportesCulturaAutomóveisSaúdeEntretenimentoColunistasVídeosJornal Impresso+ MaisOpiniões dos LeitoresGaleria de FotosGrupo FeitosaSobre A CríticaExpedienteMidia KitFale Conosco EDUCAÇÃOMato Grosso do Sul tem uma das menores taxas de escolarização entre crianças de até 3 anosOs dados de Mato Grosso do Sul seguem o padrão apresentado na região Centro-Oeste20 julho 2018 - 17h54Da redação com assessoria A ideia é oferecer renúncia fiscal para as escolas, parte financiada pelo governo federal e parte pelos governos municipais - Foto: Reprodução AGÊNCIA BRASIL A região Centro-Oeste do Brasil apresenta a segunda menor taxa de escolarização do país entre crianças de 0 a 3 anos de idade, segundo Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2017, do IBGE. Cerca de 25% das pessoas desta faixa etária estão em instituições de ensino. O número teve ligeiro crescimento em 0,5% em comparação a 2016, e só fica atrás da região Norte, que tem o pior índice do Brasil, com quase 17%. Os dados de Mato Grosso do Sul seguem o padrão apresentado na região Centro-Oeste. Segundo os últimos dados do Observatório do Plano Nacional de Ensino, de 2015, mais de 54 mil crianças estão estudando – o que representa 31% do total de pessoas de até 3 anos. No entanto, mais de 120 mil estão fora das instituições de ensino. Ainda segundo o levantamento do Observatório, Mato Grosso do Sul não apresenta uma diferença muito grande na distribuição das creches entre as redes públicas e privada. Quase 60% das instituições sul-mato-grossenses são da rede pública de ensino, frente a 35% da rede particular. Os recursos do programa Brasil Carinhoso, criado em 2012 com o intuito de ampliar o acesso de beneficiários do Bolsa Família à creches, caiu drasticamente. O orçamento de R$ 137 milhões de reais aprovado no ano passado foi reduzido para R$ 6,5 milhões em 2018. A diferença é grande quando comparada ao investimento no ensino superior - somente o Ministério da Educação investiu mais de R$ 79 bilhões de reais em 2017. Segundo o especialista em educação e professor da Universidade de Brasília, Célio Cunha, há uma defasagem histórica em relação aos investimentos nos graus de ensino. “O financiamento da educação básica não manteve o mesmo dinamismo do ensino superior, sobretudo na década de 1970, quando o governo brasileiro fez um grande investimento nas universidades federais”. O desenvolvimento da educação infantil é tema dos planos de governo dos pré-candidatos a presidência da República. O programa econômico de Henrique Meirelles, do MDB, por exemplo, pretende criar um incentivo fiscal para levar o conceito do Programa Universidade para Todos (Prouni) até creches, permitindo assim que crianças pobres estudem em instituições particulares. A ideia é oferecer renúncia fiscal para as escolas, parte financiada pelo governo federal e parte pelos governos municipais. Os subsídios oferecidos serão maiores quando a renda per capita familiar e o nível educacional dos pais forem menores. Segundo o coordenador econômico de Henrique Meirelles, José Márcio Camargo, a educação infantil é uma das prioridades do plano de governo do pré-candidato do MDB. “Queremos dar uma ênfase especial para a educação infantil. Até hoje o governo da muita prioridade para o ensino superior. Nossa avaliação é que o processo educacional começa até mesmo antes de a criança nascer. O ser humano atinge o auge da capacidade de aprender com 6, 7 anos. Se perde esse começo, perde também uma parte importante do crescimento”, afirma Camargo. O estudo do Observatório do Plano Nacional de Ensino apresenta ainda a evolução da porcentagem de crianças de 0 a 3 anos nas escolas de 2001 a 2015, e Mato Grosso do sul apresentou significativa melhora. No começo dos anos 2000, menos de 9% das crianças frequentavam a escola. Com variações ao longo de 14 anos, o estado atingiu o maior índice em 2014 (32%). Deixe seu Comentário Veja Também EDUCAÇÃO Professora de Naviraí é uma das vencedoras do 21º Prêmio Educador Nota 10 EDUCAÇÃO Professores da UEMS serão homenageados pelo Conselho de Reitores EDUCAÇÃO Universidades vão escolher como distribuir bolsas de doutorado EDUCAÇÃO Começam hoje inscrições para bolsas remanescentes do ProUni SESI Guardiões da Galáxia é campeã do Interclasse de Robótica da Escola do Sesi de Aparecida do Taboado Últimas Notícias23h35POLÍTICAGoverno Temer tem 76% de avaliação ruim e péssima, diz Ibope23h32POLÍTICAFernando Haddad intensifica agenda no Nordeste22h39ESPORTESeleção masculina de vôlei vence Holanda de virada em amistoso21h39AGÊNCIA DE NOTÍCIASCom atuação destacada em MS, maçons recebem Comenda Liberdade, Igualdade e Fraternidade21h23POLÍTICATenho certeza que Ciro vai atrair eleitores de Lula, diz K
... ++ Mais

TAGS:

MenuÚltimasRÁDIOSMarabá 939Band 1047Montana 899Nova 991Serra 1065Serrana 887Corumbá 989Band 88521 agosto 2018 críticaGrupo Feitosa Comunicação(67) 99974-5440(67) 3317-7890MenuÚltimas NotíciasEditoriasGeralPolíticaEconomiaAgropecuáriaPolíciaEsportesCulturaAutomóveisSaúdeEntretenimentoColunistasVídeosJornal Impresso+ MaisOpiniões LeitoresGaleria FotosGrupo FeitosaSobre CríticaExpedienteMidia KitFale Conosco EDUCAÇÃOMato Grosso menores taxas escolarização entre crianças até anosOs dados Mato Grosso seguem padrão apresentado região Centro-Oeste20 julho 2018 17h54Da redação assessoria ideia oferecer renúncia fiscal para escolas parte financiada pelo governo federal parte pelos governos municipais Foto: Reprodução AGÊNCIA BRASIL região Centro-Oeste Brasil apresenta segunda menor taxa escolarização país entre crianças anos idade segundo Pesquisa Nacional Amostra Domicílios (PNAD) 2017 IBGE. Cerca pessoas desta faixa etária estão instituições ensino. número teve ligeiro crescimento comparação 2016 fica atrás região Norte pior índice Brasil quase 17%. dados Mato Grosso seguem padrão apresentado região Centro-Oeste. Segundo últimos dados Observatório Plano Nacional Ensino 2015 mais crianças estão estudando representa total pessoas até anos. entanto mais estão fora instituições ensino. Ainda segundo levantamento Observatório Mato Grosso não apresenta diferença muito grande distribuição creches entre redes públicas privada. Quase instituições sul-mato-grossenses são rede pública ensino frente rede particular. recursos programa Brasil Carinhoso criad