BAIRROS

Qual seu Bairro? Estado: Cidade:

CONHEÇA O GOOGLE SUÍTE - GSUITE, UM NOVO MUNDO PARA SUA EMPRESA - CLIQUE AQUI!

Brasil Ndash Saude Pesquisa Aponta Forma De Disseminacao Do Virus Da Febre Amarela Na Regiao Sudeste - - Cidade - Estado


Fonte: https://news.portalbraganca.com.br/nacional/brasil-saude-pesquisa-aponta-forma-de-disseminacao-do-virus-da-febre-amarela-na-regiao-sudeste.html


Voltar

Portal Bragança News Site de Notícias Início Nacional Política Justiça Segurança Economia Regional – SP Bragança Paulista Bragança – PA Amparo Atibaia Bom Jesus dos Perdões Campinas Itatiba Jundiaí Piracaia São Paulo Socorro Vargem Esporte Futebol Bragança Paulista Internacional Cultura Loterias Tele Sena Mega-Sena Dupla Sena Lotofácil Lotomania Brasil – Saúde: Pesquisa aponta forma de disseminação do vírus da Febre Amarela na região Sudeste 10 de julho de 2018 Redação Nacional - Notícias do Brasil, Saúde 0 Pesquisa aponta forma de disseminação do vírus da Febre Amarela na região Sudeste   Um estudo desenvolvido por diversas instituições, entre elas a Fiocruz Minas, mostrou que o vírus que causou o surto de febre amarela no início de 2018, em Minas Gerais, é o mesmo que causou o surto em 2016/2017, mostrando que o vírus persistiu no estado nesses dois últimos anos. A pesquisa levantou ainda a hipótese de que o vírus pode ter vindo do Centro-Oeste do país, tendo em vista os registros epidemiológicos nessa região em 2015.         “Como o vírus da febre amarela é endêmico na Região Amazônica, uma das hipóteses cogitadas era que o vírus causador dos surtos havia vindo de lá e que tivesse chegado ao Sudeste na mesma época em que apareceram os casos. Entretanto, vimos que isso não é verdade, uma vez que o mesmo vírus já estava circulando no estado de São Paulo em 2016”, explica o pesquisador da Fiocruz Minas, Pedro Augusto Alves.         Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores fizeram um sequenciamento parcial de amostras de pacientes e de carcaças de primatas, afetados pela doença nos últimos dois surtos. Em seguida, eles compararam os resultados do sequenciamento com amostras de diferentes anos e localidades, que estavam armazenadas em um banco de dados. Assim, foi possível compreender a origem do vírus que provocou o grande número de casos de febre amarela no Sudeste.         Para o pesquisador, chama atenção o fato de que o vírus tenha encontrado condições favoráveis de sobrevivência na região Sudeste, durante um longo período, até que começassem a aparecer os primeiros casos em humanos, mantendo-se no Sudeste de 2016 a 2018. Esse fato serve de alerta de que a região Sudeste também pode ter condições climáticas e ambientais para a manutenção do vírus, o que antes imaginava-se ser possível apenas para a região Amazônica.         De acordo com a pesquisa, também merece atenção o fato de o Centro-Oeste possivelmente ter funcionado como área de transição importante para a febre amarela. Devido à sua localização geográfica, o Centro-Oeste poderia estar facilitando a transposição do vírus da Região Amazônia para o Sudeste, como já observado em surtos anteriores.         “Goiás e Mato Grosso já precederam surtos relacionados a várias doenças no Sudeste, o que significa que o Centro-Oeste é uma área chave para as ações de vigilância, não apenas em relação à febre amarela, mas também em relação a outras doenças”, destaca o pesquisador.         As conclusões deste estudo corroboram com os resultados de uma pesquisa publicada pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) em agosto de 2017, em que os cientistas identificaram mutações no vírus que circulou no Espírito Santo durante os surtos recentes e sugeriram que o Centro-Oeste pode ter servido de rota do vírus.         “Outro ponto em comum entre os dois estudos foi a constatação de que o vírus presente no Sudeste também tem características semelhantes a um tipo que circulou na Venezuela, indicando uma possível origem. Mas também é importante lembrar que a Venezuela abriga parte da região considerada amazônica”, comenta Pedro.       O pesquisador afirma que ainda é uma incógnita a forma como esse vírus que provocou os dois surtos irá se comportar daqui pra frente. “O que se sabe, com as pesquisas feitas até o momento, é que o vírus causador das duas epidemias teve uma entrada única no Sudeste. Ou seja, trata-se de um grupo homogêneo que se estabeleceu de forma efetiva e causou estragos ainda não documentados. A forma como ele vai se comportar daqui pra frente é desconhecida, o que reforça a importância de ampliar a cobertura vacinal, medida que o Estado de Minas Gerais já vem adotando”, diz.         O artigo intitulado “Persistência do vírus da febre amarela fora da Bacia Amazônica, causando epidemias no Sudeste do Brasil, de 2016 a 2018”, foi publicado recentemente na revista  Plos Neglected Tropical Diseases. O estudo foi desenvolvido por pesquisadores da Fiocruz Minas, Universidade Federal de Minas Gerais, Fundação Ezequiel Dias, Hospital Eduardo de Menezes, Centro de Controle de Zoonoses e Instituto Pasteur da Guina Francesa. Os pesquisadores contaram ainda com a colaboração da Secretaria de Estado de Saúde do Estado e do Laboratório de Zoonoses da Prefeitura de Belo Horizonte. A pesquisa foi financiada pelo CNPq, Fapemig, Capes, European Commission e Institut Pasteur de La Guyane.         Da Redação com informações provenientes da FioCruz Relacionado BrasilFebre AmarelaFiocruzNacionalSaúdeTecnologiaVírus AnteriorBrasil – Economia: Banco Mundial e Caixa firmam parceria para melhorar eficiência energética do Brasil PróximoBrasil – Meio Ambiente: Drones devem contribuir para fiscalizar unidades de conservação na Amazônia. Categorias Bragança – PA Bragança Paulista USF Concurso Culinária Cultura Cinema HQ Literatura Música Teatro TV Entretenimento Novelas Esporte Aquáticos Surfe Atletismo Automobilismo Basquete Ciclismo Esportes Aqu
... ++ Mais

TAGS:

Portal Bragança News Site Notícias Início Nacional Política Justiça Segurança Economia Regional Bragança Paulista Bragança Amparo Atibaia Jesus Perdões Campinas Itatiba Jundiaí Piracaia São Paulo Socorro Vargem Esporte Futebol Bragança Paulista Internacional Cultura Loterias Tele Sena Mega-Sena Dupla Sena Lotofácil Lotomania Brasil Saúde: Pesquisa aponta forma disseminação vírus Febre Amarela região Sudeste julho 2018 Redação Nacional Notícias Brasil Saúde Pesquisa aponta forma disseminação vírus Febre Amarela região Sudeste estudo desenvolvido diversas instituições entre elas Fiocruz Minas mostrou vírus causou surto febre amarela início 2018 Minas Gerais mesmo causou surto 2016/2017 mostrando vírus persistiu estado nesses dois últimos anos. pesquisa levantou ainda hipótese vírus pode vindo Centro-Oeste país tendo vista registros epidemiológicos nessa região 2015. “Como vírus febre amarela endêmico Região Amazônica hipóteses cogitadas vírus causador surtos havia vindo tivesse chegado Sudeste mesma época apareceram casos. Entretanto vimos isso não verdade mesmo vírus estava circulando estado São Paulo 2016” explica pesquisador Fiocruz Minas Pedro Augusto Alves. Para chegar essas conclusões pesquisadores fizeram sequenciamento parcial amostras pacientes carcaças primatas afetados pela doença últimos dois surtos. seguida eles compararam resultados sequenciamento amostras diferentes anos localidades estavam armazenadas banco dados. Assim possível compreender origem vírus provocou grande número