BAIRROS

Qual seu Bairro? Estado: Cidade:

CONHEÇA O GOOGLE SUÍTE - GSUITE, UM NOVO MUNDO PARA SUA EMPRESA - CLIQUE AQUI!

Elevacao Da Nota De Risco Do Brasil E Questao De Tempo Diz Meirelles - - Cidade - Estado


Fonte: http://www.jb.com.br/economia/noticias/2018/01/12/elevacao-da-nota-de-risco-do-brasil-e-questao-de-tempo-diz-meirelles/


Voltar

RSSTwitterFacebookJornal do BrasilQuarta-feira, 17 de Janeiro de 2018 Fundado em 1891Capa Notícias País Opinião Sociedade Aberta RioEconomia Balcão de Emprego » Informe CNC Negócios e Marketing InternacionalEsportesCiência e TecnologiaCulturaColunistas Coisas da Política Comunidade em pauta Heloisa Tolipan Informe JB Jazz Juventude de Fé Leonardo Boff Marcus Ianoni Sol Maior - Maria Luiza Nobre Fotos e VídeosJBlogsEconomia12/01 às 16h44 - Atualizada em 12/01 às 18h14Elevação da nota de risco do Brasil é questão de tempo, diz MeirellesJornal do BrasilTamanho do Texto:+A-AImprimirPublicidadeO ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta sexta-feira (12), que a elevação da nota de risco do Brasil é uma questão de tempo. A declaração foi dada em entrevista coletiva para comentar o rebaixamento da classificação da dívida pública brasileira pela agência Standard & Poor’s (S&P). Meirelles manifestou confiança na aprovação da reforma da Previdência e das medidas de ajuste fiscal nos próximos meses.“O Congresso tem mostrado que tem aprovado as reformas fundamentais no país. Aprovou o teto de gastos, a reforma trabalhaista, a Lei das Estatais e a TLP [Taxa de Longo Prazo]. Outras medidas, como o cadastro positivo e a duplicata eletrônica estão em aprovação. Existe um histórico de aprovação. Essas reformas vão continuar ocorrendo, e a perspectiva de aumento do rating é questão de tempo. Isso foi levado em conta na melhora da perspectiva [da nota do Brasil pela S&P] de negativa para estável”, destacou o ministro.Apesar do rebaixamento, Meirelles garantiu que a economia brasileira está num momento positivoMeirelles comentou que, no dia seguinte à redução da nota do Brasil para três níveis abaixo do grau de investimento, o mercado financeiro teve uma reação calma. Segundo o ministro, isso ocorre porque o país continua crescendo com baixa inflação e porque o rebaixamento já estava “precificado”, incorporado aos indicadores financeiros.“Um ponto importante, que parece ser digno de ênfase neste momento, é a reação da economia no curto prazo, dos indicadores de mercado que reagem na mudança do rating no Brasil. Hoje, o dólar caiu um pouquinho, os juros de longo prazo caíram um pouquinho, e a bolsa continua estável”, acrescentou.De acordo com Meirelles, a economia brasileira está num momento positivo, com previsão de crescer até 3% este ano e criar 2 milhões de empregos, depois de incorporar pelo menos 1 milhão de pessoas ao mercado de trabalho em 2017. Para ele, as previsões da S&P são conservadoras, comportamento que considerou normal nas agências de classificação de risco.“Vamos continuar trabalhando e seguindo na direção que está dando certo. O país está crescendo. Nossa previsão de crescimento para 2018 é 3%. A agência [S&P] vai de forma mais conservadora, o que é normal. Isso [o conservadorismo das agências] também aconteceu no ano passado. O país em pleno processo de recuperação sólida. Foram criados mais de 1 milhão de empregos no ano passado, e esperamos a criação de 2 milhões de empregos este ano”, concluiu Meirelles.A evolução da avaliação do Brasil pela S&PMeirelles reforçou ainda que o rebaixamento não pode se transformar em “um grande evento político” do país. “A agência faz trabalho deles e nós fazemos o nosso. Não se deve dar um peso excessivo [ao rebaixamento], transformando isso em um movimento político. A questão de upgrade ou downgrade é pontual, um importante sinalizador, mas não é um grande evento político do país. Pelo contrário, [houve uma] observação de que eles vão aguardar a aprovação de todas medidas relevantes do ponto de vista fiscal. Nós temos nossa agenda de trabalho e na medida que isso vai funcionando, as agências vão reconhecendo no devido tempo”, afirmou.Segundo Meirelles, a avaliação da agência é “absolutamente normal” e a equipe econômica já possui um “histórico” de manifestar confiança na aprovação de medidas posteriormente confirmadas pelos parlamentares, como o caso do Teto de Gastos e da reforma trabalhista. “Continuamos seguros e confiantes q
... ++ Mais

TAGS:

RSSTwitterFacebookJornal BrasilQuarta-feira Janeiro 2018 Fundado 1891Capa Notícias País Opinião Sociedade Aberta RioEconomia Balcão Emprego Informe Negócios Marketing InternacionalEsportesCiência TecnologiaCulturaColunistas Coisas Política Comunidade pauta Heloisa Tolipan Informe Jazz Juventude Leonardo Boff Marcus Ianoni