BAIRROS

Qual seu Bairro? Estado: Cidade:

CONHEÇA O GOOGLE SUÍTE - GSUITE, UM NOVO MUNDO PARA SUA EMPRESA - CLIQUE AQUI!

Com Guerra De Faccoes E Presidios Sem Controle Dispara N Ordm De Assassinatos No Nordeste - - Cidade - Estado


Fonte: https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2018/02/09/com-guerra-de-faccoes-e-presidios-fora-de-controle-nordeste-tem-disparada-de-assassinatos.htm


Voltar

Assine 0800 703 3000 / SAC Bate-papo Notícias Esporte Entrete Universa Famosos TV UOL BOL PagSeguro Manifesto UOL nas eleições: # Informação Contra o Achismo UOL Notícias Cotidiano Últimas Notícias Fotos Vídeos Infográficos Blogs e colunas Ciência e Saúde Economia Página principal Cotações Finanças Pessoais Empreendedorismo Empregos e Carreiras Imposto de Renda Líderes Inter Jornais Política Eleições 2018 Página Principal Raio-x Resultados Pesquisas Candidatos Sabatinas Calendário Eleitoral Guia do Eleitor Últimas Notícias Presidente Alvaro Dias (Podemos) Cabo Daciolo (Patriotas) Ciro Gomes (PDT) Fernando Haddad (PT) José Maria Eymael (DC) Geraldo Alckmin (PSDB) Guilherme Boulos (PSOL) Henrique Meirelles (MDB) Jair Bolsonaro (PSL) João Amoêdo (Novo) João Goulart Filho (PPL) Marina Silva (Rede) Vera (PSTU) Governador Senador Deputado federal Deputado estadual Deputado distrital UOL Confere Tecnologia Loterias + Canais Carros Educação Vestibular Previsão do Tempo UOL Newsletters Com guerra de facções e presídios sem controle, dispara nº de assassinatos no Nordeste Carlos Madeiro Colaboração para o UOL, em Maceió 09/02/201804h01 2.jan.2018 - Beto Macário/UOL Fuzileiros da Marinha em patrulhamento no bairro de Ponta Negra, em Natal O ano de 2017 marcou uma nova disparada no número de assassinatos no Nordeste. Dos sete Estados que divulgaram dados de CVLIs (crimes violentos letais intencionais) do ano passado, quatro tiveram alta em relação ao ano anterior, sendo que três deles bateram seus recordes de assassinatos: Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte. Alagoas também teve também alta em 2017, enquanto Sergipe, Paraíba e Piauí apresentaram queda, segundo os dados oficiais.  Os quatro Estados que tiveram alta foram os que apresentaram as maiores taxas de homicídios --todos superiores a 50 por 100 mil habitantes, bem superior ao número considerado tolerável pela OMS (Organização Mundial de Saúde), que é de dez por 100 mil. A média no Brasil, em 2016, foi de 29 por 100 mil habitantes.  Dois Estados ainda não informaram dados, nem deram previsão de quando irão fazer. A Bahia só tem estatísticas atualizadas entre janeiro e agosto de 2017, quando foram assassinadas 4.267 pessoas. Já o Maranhão informa apenas os números de homicídios registrados na capital, São Luís, onde 591 pessoas foram mortas. As secretarias de segurança dos dois Estados foram procuradas, mas não informaram os dados completos de 2017.  Se considerados os sete Estados que divulgaram os dados, foram mortas 17.913 pessoas, contra 15.077 em 2016. Ao que tudo indica, quando Maranhão e Bahia divulgarem seus dados completos, o Nordeste deve bater seu recorde de 24.825 pessoas assassinadas, registrado em 2016.  A maior taxa de homicídios ficou com o Rio Grande do Norte, que chegou a 68 por 100 mil habitantes. O Estado enfrentou, no ano passado, uma grave crise na penitenciária de Alcaçuz e um aquartelamento de policiais. Nos últimos dez anos, sete dos nove Estados nordestinos apareceram ao menos uma vez entre os quatro mais violentos do país: Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe.  Presídios, drogas e facções explicam a alta Especialistas e as próprias secretarias de segurança dos Estados que registram as maiores taxas apontam que a violência sem freio tem pelo menos três explicações: o descontrole aos presídios, a guerra de facções e o tráfico de drogas.  Para o presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sergio de Lima, a questão da violência no Nordeste está dentro de um contexto similar ao de todo o país. No entanto, diz, os três Estados que bateram recorde em assassinatos têm problemas carcerários graves. "Quando a gente muitas vezes envereda dizendo que o problema é o crime organizado --e concordo que é, sim--, lembro que as principais organizações, incluindo PCC (Primeiro Comando da Capital), FDN (Família do Norte) e CV (Comando Vermelho) nasceram dentro das prisões", afirma o especialista. "O Brasil não consegue resolver esse problema e está colocando em xeque investimentos de alguns anos em gestão de polícia. Só polícia não vai resolver." Nosso principal problema não são as fronteiras, as rotas internacionais do tráfico de drogas. O principal é a prisão Renato Sergio de Lima, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública  Jarbas Oliveira/Folhapress Bairros de Fortaleza apresentam pichações nos muros com alertas; algumas regiões mudaram o cotidiano diante da guerra de facções e chacinas "Ciclo de retroalimentação da violência" Para Lima, existem disputas marcantes no Nordeste pelo controle do fluxo da droga, de territórios e de quem controle das prisões. "Vários especialistas mostram que o crime organizado cresce na falta de ação do Estado nas prisões e, com isso, ganha poder até com controle moral de conduta. As periferias acabam sob julgo do crime organizado", co
... ++ Mais

TAGS:

Assine 0800 3000 Bate-papo Notícias Esporte Entrete Universa Famosos PagSeguro Manifesto eleições: Informação Contra Achismo Notícias Cotidiano Últimas Notícias Fotos Vídeos Infográficos Blogs colunas Ciência Saúde Economia Página principal Cotações Finanças Pessoais Empreendedorismo Empregos Carreiras Imposto Renda Líderes Inter Jornais Política Eleições 2018 Página Principal Raio-x Resultados Pesquisas Candidatos Sabatinas Calendário Eleitoral Guia Eleitor Últimas Notícias Presidente Alvaro Dias (Podemos) Cabo Daciolo (Patriotas) Ciro Gomes (PDT) Fernando Haddad (PT) José Maria Eymael (DC) Geraldo Alckmin (PSDB) Guilherme Boulos (PSOL) Henrique Meirelles (MDB) Jair Bolsonaro (PSL) João Amoêdo (Novo) João Goulart Filho (PPL) Marina Silva (Rede) Vera (PSTU) Governador Senador Deputado federal Deputado estadual Deputado distrital Confere Tecnologia Loterias Canais Carros Educação Vestibular Previsão Tempo Newsletters guerra facções presídios controle dispara assassinatos Nordeste Carlos Madeiro Colaboração para Maceió 09/02/201804h01 2.jan.2018 Beto Macário/UOL Fuzileiros Marinha patrulhamento bairro Ponta Negra Natal 2017 marcou nova disparada número assassinatos Nordeste. sete Estados divulgaram dados CVLIs (crimes violentos letais intencionais) passado quatro tiveram alta relação anterior sendo três deles bateram seus recordes assassinatos: Ceará Pernambuco Grande Norte. Alagoas também teve também alta 2017 enquanto Sergipe