BAIRROS

Qual seu Bairro? Estado: Cidade:

CONHEÇA O GOOGLE SUÍTE - GSUITE, UM NOVO MUNDO PARA SUA EMPRESA - CLIQUE AQUI!

Assim O Carnaval 2018 Recuperou O Espirito Critico Com A Classe Politica No Brasil - - Cidade - Estado


Fonte: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/02/12/politica/1518446814_565470.html


Voltar

Seleccione Edição ESP AME BRA CAT ENG Newsletter Assine Login Cerrar Buscador Cerrar Buscar Seções Fechar Seleccione Edição ESP AME BRA CAT ENG Tamanho de letra a- A+ Alto contraste Internacional Opinião Brasil Economia Ciência Tecnologia Cultura Estilo Esportes El Viajero Fotos Vídeos Siga-nos em Siga-nos em Twitter Siga-nos em Facebook Newsletter Assine EL PAÍS Brasil Carnaval 2018 Assim o Carnaval 2018 recuperou o espírito crítico com a classe política no Brasil As críticas à situação do país passam das ruas aos sambódromos, com enredos que atacam diretamente figuras políticas e medidas do Governo Recomanar no Facebook Twittear Otros Fechar Recomendar no Linkedin Recomendar no GooglePlus Recomendar no Pinterest Login Login Imprimir Ver galeria de fotos Desfile da escola Paraíso do Tuiuti, que fez um desfile protesto no Rio de Janeiro. Leo Correa AP María Martín Talita Bedinelli Twitter Rio de Janeiro / São Paulo 14 FEV 2018 - 20:08 CET MAIS INFORMAÇÕES FOTOGALERIA Malas de dinheiro, corrupção, violência: a Beija Flor expõe as mazelas do Brasil na Sapucaí FOTOGALERIA A política invade o Sambódromo no Rio Salvador, “o Carnaval de verdade” Galo da Madrugada, o maior bloco do mundo, completa 40 anos A crise política brasileira não deu trégua neste Carnaval. Não apenas na rua, como era mais comum nos outros anos, mas também nos sambódromos do Rio e de São Paulo. As escolas de samba levaram para a avenida neste ano críticas sociais contundentes e muito diretas. O caso mais marcante foi o da Paraíso do Tuiuti, agremiação nascida no morro de mesmo nome, em São Cristovão, no Rio, que surpreendeu o público durante o desfile de domingo à noite e conseguiu enorme repercussão nas redes sociais. Com o samba enredo Meu Deus, Meu Deus, Está Extinta a Escravidão? a escola criticou as condições de trabalho no país e, de quebra, o atual Governo, responsável pela reforma trabalhista aprovada no ano passado. Thiago Monteiro, diretor de Carnaval da escola, explica ao EL PAÍS que o enredo foi escolhido por concurso. “O objetivo era tratar da exploração do homem pelo homem. Não só da escravidão negreira, mas dessa exploração que se estende por séculos, passando pelos egípcios, celtas, romanos e que continua nos dias atuais. Fazer uma pessoa trabalhar uma jornada de 12 horas, como as costureiras, por um salário às vezes abaixo do mínimo e com direitos mitigados, é perpetuar esse sistema”, diz. Se a comissão de frente da escola trouxe O grito da liberdade, mostrando escravos saídos da senzala açoitados, o último carro veio com um vampiro vestido com a faixa presidencial, que lembrava Michel Temer. Ele estava em cima do carro chamado neo tumbeiro, ou seja, um navio negreiro dos tempos atuais. Na avenida foram ouvidos gritos de "Fora, Temer", relatou o jornal O Globo. Entre o último e o primeiro carro, o desfile de 29 alas e 3.100 componentes ainda trouxe os manifestoches, integrantes vestidos de verde e amarelo, cor que marcou os protestos a favor do impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, sendo manipulados por uma mão invisível e encaixados em patos amarelos, símbolo das reclamações contra o antigo Governo feitas pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP). Eles carregavam nas mãos panelas, outro símbolo dos protestos. “Como falávamos da exploração do homem pelo homem queríamos incluir a mitigação dos direitos sociais. Através dos patinhos você representa uma situação anterior na qual os direitos eram bem protegidos e a partir do momento em que uma nova ordem política toma o país você tem novas reformas que, na ótica da escola, tiram direitos sociais de uma parcela da população. A escola quis questionar se quem pediu essa mudança não é também vítima. Essa pessoa que foi para a rua não tem esses direitos cortados também?”, explicou Monteiro. ampliar foto Desfile da Mangueira, que retratou o prefeito do Rio. Leo Correa AP As críticas explícitas da Paraíso do Tuiuti deixaram em silêncio os comentaristas da TV Globo, que transmite ao vivo os desfiles de Carnaval. Enquanto as alas anteriores eram explicadas em detalhes, a dos manifestoches recebeu um rápido e único comentário de "manipulados, fantoches", logo cortado para um "Jú, 120 [centímetros] de quadril", em referência à passista mostrada em seguida na imagem. Nas redes sociais, a escola foi louvada pela "coragem" das críticas. “No pré-Carnaval, quando foi divulgado o tema do enredo, já tivemos uma repercussão interessante, mas esta repercussão muito grande após o desfile nos surpreendeu. Estamos muito felizes”, destacou o diretor de Carnaval. Mas houve também quem, na Internet, considerasse o desfile um "desserviço" digno de rebaixamento. Mais críticas A Mangueira também trouxe, nesta primeira noite de desfiles do Grupo Especial carioca, uma crítica direta ao atual prefeito do Rio, Marcelo Crivella, que apareceu representado em um dos carros alegóricos como um boneco de Judas, do tipo que é malhado no Sábado de Aleluia. O boneco do político evangélico era acompanhado da frase: "Prefeito, pecado é não brincar o Carnaval". A escola fazia críticas ao corte, por parte da Prefeitura, da metade da verba destinada às escolas de samba e tinha como enredo "Com dinheiro ou sem dinheiro, eu brinco". A Beija-Flor, que desfila na noite desta segunda, também trará um Carnaval político para a Sapucaí. Com o enredo Monstro é aquele que não sabe amar. Os filhos abandonados da pátria que os pariu deve abordar o descaso com crianças e adolescentes po
... ++ Mais

TAGS:

Seleccione Edição Newsletter Assine Login Cerrar Buscador Cerrar Buscar Seções Fechar Seleccione Edição Tamanho letra Alto contraste Internacional Opinião Brasil Economia Ciência Tecnologia Cultura Estilo Esportes Viajero Fotos Vídeos Siga-nos Siga-nos Twitter Siga-nos Facebook Newsletter Assine PAÍS Brasil Carnaval 2018 Assim Carnaval 2018 recuperou espírito crítico classe política Brasil críticas situação país passam ruas sambódromos enredos atacam diretamente figuras políticas medidas Governo Recomanar Facebook Twittear Otros Fechar Recomendar Linkedin Recomendar GooglePlus Recomendar Pinterest Login Login Imprimir galeria fotos Desfile escola Paraíso Tuiuti desfile protesto Janeiro. Correa María Martín Talita Bedinelli Twitter Janeiro São Paulo 2018 20:08 CET MAIS INFORMAÇÕES FOTOGALERIA Malas dinheiro corrupção violência: Beija Flor expõe mazelas Brasil Sapucaí FOTOGALERIA política invade Sambódromo Salvador “o Carnaval verdade” Galo Madrugada maior bloco mundo completa anos crise política brasileira não trégua neste Carnaval. Não apenas como mais comum outros anos também sambódromos São Paulo. escolas samba levaram para avenida neste críticas sociais contundentes muito diretas. caso mais marcante Paraíso Tuiuti agremiação nascida morro mesmo nome São Cristovão surpreen